Buscar
  • Bruna Cassapietra

Pandemia das Lives



Acredito que você já deve ter reparado no aumento significativo de lives (transmissões ao vivo) nas redes sociais durante o isolamento social. Caso você não esteja produzindo alguma e nem sendo espectador, preciso te acender uma luzinha de atenção para esse movimento. A live é uma ferramenta bastante usada nas redes sociais, me lembro bastante quando o Periscope (app de streaming de vídeo ao vivo) era usado para fazer essa função enquanto as outras redes sociais ainda não tinham esse recurso. Estar ao vivo gera uma comunicação extremamente quente, são informações, ações e reações no exato momento. Mas fazer o uso disso requer claramente alguns cuidados; ficar sem assunto e/ou não saber articular-se pode ser um desastre, ninguém quer poucas pessoas assistindo sua transmissão não é mesmo?! Mas se você tem assunto, sabe se comunicar ou conhece alguém para lhe representar, muito bem, minha dica é: faça sua live! O momento em que vivemos pode até ter te questionado sobre o excesso de transmissões, mas você não pode negar de que elas estão fazendo sucesso. Porém, antes de ligar a câmera, convidar alguém ou desenhar um roteiro, separei algumas dicas que podem te ajudar. Primeiro entenda que a live é um perfeito recurso para lançamento de algum projeto/produto, fazer uma ou dezenas de lives sequenciais para educar seu público sobre o que você pretende lançar é uma estratégia usada em qualquer área e que faz todo sentido. Encaixe o seu produto neste exemplo: O programa Fantástico fala inúmeras vezes sobre os assuntos que serão abordados na próxima novela da grade, um produto vendendo o outro, quando a novela estreia – meses após a introdução no Fantástico – o público já sabe debater sobre o assunto, já possui uma bagagem e consequentemente o tema/produto lhe atrai o bastante para ser consumido. Pensando sobre lançar um produto/promoção ou debater um assunto, separei 3 dicas para você saber administrar as informações:

1. Crie uma estratégia.              Se você precisa educar seu público, sobre um produto novo por exemplo, faça uma sequência de lives, divida o assunto, seja claro e se precisar chame alguém para demonstrar o uso do mesmo.             Caso opte por uma única transmissão, assegure-se de que o assunto tratado seja inédito e ninguém poderá obter as informações passadas de outra maneira a não ser lhe assistindo.

2. Cultive o público.             Usando o exemplo da televisão novamente, você precisa criar uma série de chamadas para que seu público saiba sobre sua live. Observe qual o melhor canal de comunicação com seu público alvo e o lembre diariamente sobre a data, horário e o canal de encontro da transmissão.


3. Atenção a parte técnica.             Caso a sua transmissão não tenha suporte de uma produtora, invista em uma boa iluminação, na qualidade do áudio e da internet, os ruídos e falhas na transmissão podem se tornar o assunto da sua live, e isso é péssimo.             Uma dica para iluminação é comprar o famoso ring light, o qual o seu celular fica preso no meio da luz e você pode movimentar-se de forma mais confortável e não deixar os espectadores zonzos, além de não correr o risco de colocar a mão no microfone. Importante lembrar que é bom ficar perto do celular para que o áudio não seja prejudicado. Não tenha medo de arriscar, o momento que estamos vivendo pede por novas medidas e uma delas é não ficar longe do seu público. Bruna Cassapietra Diretora e Co-fundadora da BeeL Films brunacassapietra@beelfilms.com www.beel-films.com

21 visualizações